O documento foi entregue à egressa do curso de Pedagogia, Tatiane Bento da Silva, 29 anos

© by Foto: Weslley Cruz

A PUC Goiás comemorou, na terça-feira, 17, seus 58 anos com um marco em sua história: 100 mil profissionais diplomados pela instituição. A comemoração também homenageou professores e funcionários administrativos com 35 anos de atuação na universidade e realizou a entronização da imagem peregrina de Nossa Senhora Aparecida na capela construída em sua homenagem, no Centro de Convenções PUC, Jardim Mariliza.

Tatiane Bento da Silva, 29 anos, egressa do curso de Pedagogia, recebe o diploma 100 mil. Foto: Weslley Cruz

O diploma 100 mil foi entregue a egressa do curso de Pedagogia, Tatiane Bento da Silva, 29 anos. “Iniciei o curso em 2013, muito feliz, porque nós mexemos com a pessoa, o ser humano. Nossa mão de obra é a criança, o adolescente. Então, iniciei com muita vontade e garra e pretendo continuar na área, porque a educação é muito abrangente. Estou muito feliz por fazer parte desta história”, disse a egressa.

Pró-reitora de Graduação, a profa. Sonia Gomes pontuou que o marco de 100 mil diplomas é uma conquista da sociedade goiana e brasileira. “É uma universidade comprometida com a paz no mundo, já que surgiu no cenário histórico do pós-guerra. Não é com armas que construímos um país melhor, a educação sempre deve estar em primeiro lugar”, afirmou.

“As histórias de cada um de nós se misturam com a história da universidade, porque cada um, em determinado ano, chegou nesta instituição e veio trazer sua contribuição e uma parte de sua vida à universidade. E é com este sentido que prestamos nossa homenagem aos professores e funcionários, que representa, também, uma grande homenagem à universidade”, refletiu o reitor da instituição, prof. Wolmir Amado.

Ele destacou a importância de se relembrar o passado e preparar os caminhos vindouros: “nós olhamos para o futuro, porque a universidade precisa ir para frente, para os 70, 80, 100 anos, enfim, para as gerações futuras. Queremos consolidar a importância desta tradição para que ela possa ir firme, com horizontes mais sólidos”, complementou.