Projeto Pedagógico

O projeto pedagógico do curso (PPC) foi elaborado inicialmente pelos professores do Colegiado de Engenharia Elétrica da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás) e, posteriormente, reformulado pelos professores do NDE do curso de Engenharia de Controle e Automação. O PPC contém a Proposta Curricular do curso e é considerado instrumento de referência para a implantação e gestão acadêmica pela IES.

O PPC expressa o perfil do formando egresso/profissional do curso de Engenharia de Controle e Automação apresentado pela Resolução CNE/CES N. 11, de 11 de março de 2002, que institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Engenharia, qual seja:

[...] garantir formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, capacitado a absorver e desenvolver novas tecnologias, estimulando a sua atuação crítica e criativa na identificação e resolução de problemas, considerando seus aspectos políticos, econômicos, sociais, ambientais e culturais, com visão ética e humanística, em atendimento às demandas da sociedade (MEC, 2002).

Outro documento utilizado para subsidiar as discussões do PPC foi a Resolução nº 427, de 5 de março de 1999 do Conselho Federal de Engenharia, Arquitetura e Economia – Confea, que discriminou as atividades profissionais do Engenheiro de Controle de Automação.

Essa discussão deu-se no Departamento de Engenharia (hoje Escola de Engenharia), o que levou o Colegiado a promover mudanças no curso, explicitadas no Projeto Pedagógico, incorporando atualizações dos conteúdos de algumas disciplinas e exclusão daqueles que se constituíam sobreposições. A Escola adotou a sistemática de acompanhamento e avaliação do Projeto Pedagógico, visando à atualização da proposta curricular.

Essa sistemática subsidiou a discussão entre professores e alunos da Escola, considerando o contexto cada vez mais globalizado e competitivo do mundo do trabalho na sociedade contemporânea. Portanto, é resultado de reflexão coletiva e não tem a pretensão de constituir documento definitivo, uma vez que o Projeto Pedagógico é passível de novas alterações sempre que elas se fizerem necessárias para a qualificação do curso.