Método Avaliativo

A concepção que orienta o processo avaliativo considera o aprendizado como resultado da construção do conhecimento e de um comportamento social e ético, mediado pela articulação dos aspectos teórico-práticos no que se refere à internalização de conhecimentos específicos, ao desenvolvimento de habilidades e atitudes, com vistas à formação profissional de qualidade para o exercício da cidadania.

A avaliação discente segue as normas estabelecidas no Regimento Geral para todos os cursos da PUC Goiás. É realizada de forma contínua, por meio de exercícios escolares, arguições, trabalhos práticos, projetos, relatórios, painéis, provas, seminários, pesquisas bibliográficas e de campo, além de estudos de caso, de modo a garantir a avaliação dos processos de ensino e aprendizagem. São realizadas, no mínimo, duas avaliações no decorrer da primeira metade do semestre letivo e duas avaliações no decorrer da segunda metade do semestre, para determinação da nota final do aluno em cada disciplina. São reservados momentos para comunicação e discussão com os alunos da sistemática e dos resultados da avaliação, que são entendidos como espaços de aprendizado.

As avaliações do primeiro bimestre constituem a nota N1, com peso 0,4 e as avaliações do segundo bimestre constituem a nota N2, com peso 0,6. O aluno será considerado aprovado se a MF – Média Final, calculada pela equação MF= 0,4 N1 + 0,6 N2, for maior ou igual a 6,0 (seis). Constitui ainda requisito para aprovação a frequência maior ou igual a 75%, conforme regulamenta o  Regimento Geral da Instituição.

A PUC Goiás, comprometida com os princípios democráticos e com os processos de emancipação humana necessários para a construção contemporânea do ensino superior e com a reflexão sobre a dinâmica instaurada no cotidiano da Universidade, instituiu no âmbito de suas propostas de qualificação do ensino-aprendizagem, a Avaliação Interdisciplinar (AI).

A estrutura da AI viabiliza aos discentes a percepção de temas comuns entre as disciplinas e a compreensão da própria natureza do curso, possibilitando-lhes questionamentos e entendimento, com maior propriedade, de aspectos relacionados à sua formação profissional e à percepção de como ela se insere nos contextos social, econômico, político e cultural da vida social. Essa avaliação corresponde a 1,0 (um) ponto da nota N2, de acordo com a Resolução n. 03/2012 CEPEA-CG.

As questões que compõem a avaliação são elaboradas em conjunto pelos professores do colegiado do curso, das áreas básica, profissionalizante e específica, buscando abordar, de forma interdisciplinar, os conteúdos ministrados nas disciplinas do curso, com ênfase na matriz de habilidades e competências, indicadas na Resolução CNE/CES nº 11/2002. Desta forma, pretende-se oferecer ao aluno uma visão holística dos conhecimentos necessários ao exercício de sua profissão.

Os instrumentos de avaliação são devolvidos aos alunos, no prazo máximo de 15 (quinze) dias letivos após sua aplicação, devidamente corrigidos, respeitados o término do período letivo previsto no calendário acadêmico.