O Curso

O acadêmico de Ciências Aeronáuticas – CAER será preparado para atender necessidades do Sistema de Aviação Civil nas áreas de operações de voo e gestão. Como ator de uma atividade com alto índice de automação, deverá relacionar conteúdos teóricos com a prática. Para tal, a PUC Goiás preparou laboratórios que permitirão uma visão bastante realista para simulações das atividades desses profissionais.

O aluno, como componente de um cenário que vive em contraste com a evolução da mais moderna tecnologia, será apoiado por softwares de última geração e professores preparados para o exercício das metodologias ativas, da pesquisa e da iniciação científica, para que torne-se um elemento de construção e discussão dos conteúdos prioritários na atividade.

A tarefa deste profissional não trata mais de pilotar ou construir a gestão de empresas ou sistemas, mas de se relacionar com a intensa automação embarcada e seus periféricos, de compreender e poder alterar, para melhor, as dinâmicas das malhas aéreas ou sistemas aeroportuários, que, em muitas situações, sofrem descontinuidade e precisam de agentes que possam minimizar os desgastes que acometem os seus usuários.

Para prestar melhores serviços à sociedade este profissional de nível superior precisará entender o contexto cultural, econômico, político e social no qual exercerá suas atividades, compreender a necessidade de domínio do idioma inglês, entender o comportamento humano e suas relações e, acima de tudo, manter uma visão preferencial para tudo que se relacione com a segurança, como o mais importante item na planilha de custos em qualquer atividade aérea.

O curso quer ensejar a importância de orientar seus acadêmicos no caminho das bolsas de estudo que lhes permitam fazer parte do curso em universidades norte-americanas, por meio de intercâmbio, cumprindo disciplinas correlatas à nossa matriz curricular e aprimorando o seu relacionamento com a língua inglesa. Por fim, perceber a importância da ciência e o desenvolvimento de pesquisas, publicação de seus resultados e sua apresentação em anais de congressos, no Brasil ou fora dele.

Acesse: Simulador de Voo

Contatos com a Coordenação:
Coordenador: Cmte. Raul Francé Monteiro
E-mail da coordenação:  aer@pucgoias.edu.br
Fone: (62) 3946-1335
(62) 3946-1221
Horário de atendimento: das 8h às 12 h e das 13h às 18 h

Contatos com a Escola de Gestão e Negócios:
Diretor: Irineu Gomes
Secretária Titular: 
Edinamar Rodrigues de Moura
Secretário Adjunto: 
Antonio Carlos Alves Rodrigues
E-mail da Escola
: egn@pucgoias.edu.br
Fone: (62) 3946-1141
Horário de atendimento: Segunda a Sexta, das 7h às 22h e Sábado, das 7h às 11h.

Diferencial

A oportunidade de dupla habilitação tanto na função de Piloto de Linha Aérea como na Gestão de Aviação Civil garante ao aluno, que ao cumprir a sua matriz curricular, tornar-se-á um bacharel em Ciências Aeronáuticas disponível para sua inserção no mundo do trabalho.

A preocupação com os laboratórios para a familiarização com as aeronaves Airbus A-320 e Boeing 737-800 e, por continuidade, a instalação de simuladores (Flight Training Devices) para as mesmas aeronaves, fazem antecipar a preocupação do curso para que seus egressos cheguem ao mercado de trabalho bem preparados para os enfrentamentos que  certamente ocorrerão.

A necessidade do cumprimento de 160 horas complementares, devidamente certificadas, demonstra que o conhecimento não se constrói apenas em sala de aula, mas em congressos, visitas técnicas, cursos no exterior, oficinas de trabalho e outras atividades que ocorrem em parcerias entre professores, alunos e membros externos à universidade, também componentes importantes da formação acadêmica do aluno.

Link:  https://www.youtube.com/watch?v=TzXUk_6TDIA

Histórico

Seu projeto foi trazido por uma aeronauta que entendia ser Goiás um local importante para a implantação desse curso. Iniciou suas atividades após homologação pelo então Departamento de Aviação Civil – DAC, em fevereiro de 1999, como um projeto audacioso à época. Sendo o segundo curso de nível superior autorizado na modalidade de Piloto de Linha Aérea no país, apresentava muitas carências: docentes pós-graduados na área, linhas de pesquisa ainda indefinidas e falta de bibliografia nacional, o que indicava muito a se construir.

Completando sua maioridade, contando com a própria experiência e a ajuda de tantos atores e tecnologias conseguiu construir uma base de dados que permite entender que o objetivo inicial já foi ultrapassado, mas que agora vislumbra as potencialidades da pesquisa que tornará cada objetivo atingido, como apenas novo porto de lançamento para novos e profundos mergulhos no conhecimento, como moto contínuo do desenvolvimento humano.

Contabilizando, neste momento, centenas de egressos que compõem os times de voo das mais importantes empresas de aviação do Brasil e do mundo, alguns dos quais, atuando no voo e em funções administrativas, atestam que nossa atividade de múltipla parceria tem rendido bons frutos.

O reconhecimento da sociedade aparece aos nossos olhos por meio de convites nos quais o curso é convidado a participar de atividades da Comissão de Aviação Civil do Senado Federal, no Conselho Consultivo da Agência Nacional de Aviação Civil – ANAC, em congressos relevantes da aviação, nas publicações de pesquisas em Sistema Qualis e outros. Esta visão, mais do que demonstrar o que foi feito, aponta novas possibilidades e projetos de professores e alunos em busca de maior esclarecimento para inúmeras questões que merecem polimento e dedicação neste sistema.

Mercado de Trabalho

O principal objetivo do CAER é a formação de recursos humanos para trabalhar nas cabines de voo de aviões das empresas regulares, nacionais e internacionais e nos ambientes da gestão de aviação civil. Mas, a crescente aviação executiva de jatos, por vezes torna-se uma das preferências dos egressos, tornando-se uma das opções desejáveis dentro do leque de possibilidades.

Contudo, desde as cabines de voo até as funções relacionadas ao serviço público ligadas à normatização, verificação e gestão da aviação, é possível vislumbrar uma pluralidade de possibilidades no ambiente, algumas dos quais apareciam como carência de profissionais.

As páginas da internet dão conta da cotidiana falta de pilotos com formação adequada, que atenda às necessidades do mercado. Mesmo quando alguma crise ocorra no Brasil dificultando as opções, mercados como da Ásia e Oriente Médio apresentam-se como campos de trabalho com interessantes planos de carreira, cuja faixa salarial localiza-se acima da média das mesmas ocupações em boa parte do mundo.

O Brasil com sua dimensão de continente, precisa ligar extremos e utilizar a aviação como modal apropriado para conectar algumas de suas situações prioritárias. Trata-se de uma situação inevitável, assim, o projeto nacional terá de contar com os melhores e mais preparados fatores humanos para a tarefa que ocorrerá com certeza. Consideramos nossa participação para o momento que se avizinha.

Link:  www.youtube.com/watch?v=xe4cNxeLn0o&list=PLf4Qay1-ZUkgHBoO84tFWZz9MGWrFsB4J

 Formação Científico-Tecnológica

O ambiente aeronáutico é essencialmente tecnológico, o que exige inserção do aluno em cabines de pilotagem automatizadas para um aprendizado produtivo. Por isso, será familiarizado com a relação de softwares específicos em salas de simulação de voo, para, posteriormente, ser encaminhado aos simuladores das aeronaves mais usadas pelas empresas aéreas. Assim, ficará apto a melhor aproveitar seu futuro treinamento de voo.

A gestão não é diferente. Como se administrar a segurança, a substituição de suprimentos ou a alimentação de bordo de uma frota média (150 aeronaves) operando entre Fortaleza e Florianópolis ou entre Katmandu e Moscou. Um trabalho que depende de computadores e laboratórios, comunicação de primeiro mundo e eficiência nas decisões. Avalie um piloto com formação de gestão ou um gestor com formação de piloto. É clara a importância da formação científico – tecnológica, então, este é o nosso projeto.

CAER 07

CAER 06

CAER 05

Link: https://www.youtube.com/watch?v=cHvngRSyC0g

 Formação Crítico-Humanística

O rápido desenvolvimento das telecomunicações e do transporte aéreo aproximou os povos. Os profissionais que integram esses meios necessitam de compreender o efeito que isto produz na sociedade globalizada e que eles são agentes diretos desse processo, portanto também responsáveis pelas mudanças. Assim, na academia precisam aprender a refletir sobre suas práticas junto à sociedade.