Psicologia

Pesquisas

Linhas de pesquisa 

Linhas de Pesquisa em vigor a partir de 2018

ANÁLISE DO COMPORTAMENTO – Desenvolve pesquisas básicas e aplicadas referentes a processos comportamentais verbais e não verbais em contextos experimentais, clínicos e comunitários. Dentre os vários temas de investigação, encontram-se: operações e processos de controle por eventos ambientais antecedentes ao comportamento; operações e processos de controle por eventos ambientais consequentes ao comportamento; comportamento de escolha; comportamento verbal; aprendizagem; modificação do comportamento, relação terapêutica, comportamento do consumidor; terapia comportamental; análise funcional do comportamento; análise funcional das várias dimensões da relação terapeuta-cliente; sistemas instrucionais; automação da aprendizagem.

SAÚDE: PROCESSOS, AVALIAÇÃO E INTERVENÇÃO – Desenvolve pesquisas relacionadas a avaliação e intervenção em aspectos psicológicos do bem-estar, prazer e sofrimento, sob perspectivas quantitativas ou qualitativas, nos contextos clínico, hospitalar, organizacional, do trabalho e situações sociais. Objetiva a produção de conhecimento sobre os fundamentos epistemológicos, teórico-conceituais, metodológicos de avaliação e de intervenção característicos: das abordagens clínicas individuais, com ênfase em processos da personalidade gravemente desviante (psicopatológicos); e dos processos de atenção e cuidado integral com a saúde coletiva e promoção da qualidade de vida em diferentes contextos. Dentre os vários temas de investigação encontram-se: clínica psicanalítica; educação em saúde; avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde; psico-oncologia e reabilitação; saúde do trabalhador em área de promoção da saúde; valores, coping e bem-estar; políticas públicas em saúde; comportamentos, significados e motivações do trabalhador no contexto organizacional;  vivências de prazer e sofrimento no trabalho; gestão ambiental em organizações;  desenvolvimento de tecnologias de intervenção voltadas para a produtividade em organizações.

PROCESSOS PSICOSSOCIAIS – Realiza pesquisas e intervenções em processos sociais, objetivando a produção de conhecimento sobre fenômenos sociais complexos, abordados a partir do reconhecimento das diferentes modalidades do pensamento social e o estudo das relações entre o indivíduo e a sociedade, e dos processos intra e intergrupais característicos da dinâmica destas relações. Dentre os vários temas de investigação, encontram-se: relações entre representações sociais e práticas sociais; identidade social; discriminação e preconceito social; proposição, desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias sociais; violência e dialética da exclusão/inclusão social; impacto da ideologia e do contexto sócio-histórico na subjetividade do indivíduo; cultura e o processo de individuação; a construção de sentidos e significados em processos psicossociais de violência contra mulheres, crianças e adolescentes; atendimento psicoterapêutico em redes de atenção a mulheres, crianças e adolescentes. Visando compreensão abrangente e profunda dos fenômenos sociais de interesse, várias perspectivas teóricas são consideradas criticamente: a teoria das representações sociais, o sócio-cognitivismo, a abordagem sócio-histórica, a teoria crítica, o materialismo histórico-dialético.

Linhas de pesquisa em vigor até 2017
O curso apresenta três linhas de pesquisas abrigadas sob a mesma área de concentração: Análise e Evolução do Comportamento, Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações e Psicopatologia Clínica e Psicologia da Saúde.
1. ANÁLISE E EVOLUÇÃO DO COMPORTAMENTO: Objetiva produzir conhecimento sobre princípios e processos psicológicos básicos, assim como tecnologia a partir deste conhecimento. Organiza-se em três vertentes: 1) o estudo empírico-experimental das interações entre organismos (como totalidades, intactos, humanos ou infra-humanos, como indivíduos ou em grupos) e o ambiente (físico, social, biológico e/ou histórico), pautado pela perspectiva epistemológica do behaviorismo radical; 2) o estudo naturalístico da organização social, da comunicação verbal e não-verbal e de habilidades cognitivas de humanos e infra-humanos, e 3) o desenvolvimento de tecnologia de informática para o estudo de processos de aprendizagem no contexto do ensino presencial e à distância, e também o de instrumentação para a pesquisa psicológica. Dentre os vários temas de investigação, encontram-se: 1) operações e processos de controle por eventos ambientais antecedentes ao comportamento (discriminação simples e condicional, generalização de estímulos, formação de classes de equivalência); 2) operações e processos de controle por eventos ambientais conseqüentes ao comportamento (efeitos dos parâmetros do reforço, esquemas de reforçamento simples e complexos); 3) inter-relações de contingências, controle contextual e padrões comportamentais verbais ou não-verbais complexos (formulação e seguimento de regras, correspondência dizer-fazer, comportamento de nomear; comportamento “lingüístico”); 4) quantificação da lei do efeito; 5) comportamento do consumidor; 6) aprendizagem motora; 7) emissão e detecção de mentiras; 8) sistemas instrucionais presenciais e computadorizados; 9) inteligência artificial e automação da aprendizagem.
2. PSICOLOGIA SOCIAL, DO TRABALHO E DAS ORGANIZAÇÕES: Objetiva a produção de conhecimento sobre fenômenos sociais complexos, abordados a partir do reconhecimento das diferentes modalidades do pensamento social. Organiza-se em duas vertentes: 1) o estudo das relações entre o indivíduo e a sociedade, e dos processos intra e intergrupais característicos da dinâmica destas relações, e 2) o estudo das relações do indivíduo com o contexto organizacional em que atua como trabalhador. Dentre os vários temas de investigação, encontram-se: 1) relações entre representações sociais e práticas sociais; 2) representações e práticas sociais nos campos da saúde e da educação; 3) representações e práticas sociais no trânsito; 4) identidade social; 5) discriminação e preconceito social; 6) proposição, desenvolvimento e aperfeiçoamento de tecnologias sociais; 7) violência e dialética da exclusão/inclusão social; 8) impacto da ideologia e do contexto sócio-histórico na subjetividade do indivíduo; 9) cultura e o processo de individuação; 10) a construção de sentidos e significados em processos psicossociais de violência contra mulheres, crianças e adolescentes; 12) atendimento psicoterapêutico em redes de atenção a mulheres, crianças e adolescentes; 13) percepções, atitudes, comportamentos, significados e motivações do trabalhador no contexto organizacional; 14) vivências de prazer e sofrimento no trabalho; 15) trabalho em organizações de entretenimento, lazer e arte; 16) gestão ambiental em organizações; 17) desenvolvimento de tecnologias de intervenção voltadas para a produtividade em organizações. Visando compreensão abrangente e profunda dos fenômenos sociais de interesse, várias perspectivas teóricas são consideradas criticamente: a teoria das representações sociais, o sócio-cognitivismo, a abordagem sócio-histórica, a teoria crítica, o materialismo histórico-dialético, abordagem psicodinâmica do trabalho, a teoria dos valores organizacionais e culturais.
3. PSICOPATOLOGIA CLÍNICA E PSICOLOGIA DA SAÚDE: Objetiva a produção de conhecimento sobre os fundamentos epistemológicos, teórico-conceituais, metodológicos e de intervenção característicos: 1) das abordagens clínicas individuais, com ênfase em processos da personalidade gravemente desviante (psicopatológicos), e 2) dos processos de atenção e cuidado integral com a saúde coletiva e promoção da qualidade de vida. Dentre os vários temas de investigação, encontram-se: 1) clínica psicanalítica e a psicopatologia fundamental; 2) psicodinâmica da obesidade; 3) perversão, psicanálise e modernidade; 4) transtornos psicossomáticos e somato-psicológicos; 5) avaliação da qualidade de vida relacionada à saúde; 6) adesão a tratamento; 7) psico-oncologia e reabilitação; 8) saúde do trabalhador em área de promoção da saúde; 9) valores, coping e bem-estar; 10) a síndrome de burnout; 11) terapia comportamental; 12) análise funcional do comportamento gravemente desadaptado; 13) comportamento verbal psicótico em contexto clínico; 14) análise funcional das várias dimensões da relação terapeuta-cliente; 15) dor crônica e psicoterapia; 16) expressão de emoções e saúde; 17) oferta de serviços terapêuticos e políticas públicas em saúde.

Atualizado em 21/06/2017 – CPD/INTERNET