Ciências Ambientais e Saúde

Sobre o Programa

A proposta do Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Ciências Ambientais e Saúde (Mestrado Acadêmico – MCAS) foi encaminhada à Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) do Ministério da Educação (MEC) no ano de 2003 (versão revisada). A Portaria do MEC no 4.310, de 21 de dezembro de 2004, publicada no DOU nº 246, de 23 de dezembro de 2004, embasada no Parecer do CNE/CES nº 314/2004, aprovado em 10.11.04, reconheceu o Programa de Mestrado em Ciências Ambientais e Saúde da Universidade Católica de Goiás (Programa 52002012006P1), com avaliação inicial “3”. O MCAS está inserido na área de avaliação Interdisciplinar, Câmara IV, e foi elaborado a partir de uma articulação e integração dos cursos acadêmicos de Biologia, Biomedicina, Direito, Filosofia, Enfermagem, Ciências Sociais e Psicologia da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás).

O desafio assumido pela PUC Goiás, como produtora do saber científico, buscou resgatar e integrar o conhecimento obtido através das ciências naturais com aqueles resultantes de pesquisas na área das ciências humanas e da saúde. Tal integração no escopo do programa resultou em projetos e pesquisas voltados à análise de situações concretas da realidade que envolvem problemas ambientais e de saúde, possibilitando a geração de conhecimentos e a apresentação de propostas de intervenção.

O programa em sua consolidação contempla em suas atividades curriculares e investigativas a dimensão ambiental, a saúde e a qualidade da vida humana, incorporando consequentemente várias áreas do conhecimento que passam a ser o tema de estudo na construção de um diálogo comum entre pesquisadores de diferentes áreas, cujo ponto de encontro é a proposta do programa. Esse saber emergente, de caráter amplo, compreende um conjunto de disciplinas das ciências naturais, da saúde e sociais vinculadas às novas tecnologias aplicadas, visando construir não só um novo conhecimento, mas também, uma nova atitude marcada por uma reflexão de caráter social e ambiental voltada para um desenvolvimento sustentável, equitativo e duradouro, com ênfase nos aspectos da qualidade de vida da população humana e na preservação da biodiversidade.

Neste sentido, a inserção regional do MCAS, com ênfase na região Centro-Oeste, contempla as questões de conhecimento, preservação e conservação do meio ambiente, visando uma melhor avaliação e monitoramento do bioma Cerrado, mas também situações que envolvem interfaces dessa região com outros biomas. A análise das práticas antropogênicas advindas do avanço da fronteira agropastoril, dos processos de urbanização e industrialização acelerados, abordados dentro de uma perspectiva histórica da ocupação do espaço, possibilitam a inclusão dos aspectos e das características socioculturais importantes na abordagem interdisciplinar que envolve questões de ambiente e saúde. A busca de temáticas e questões voltadas para esta pesquisa interdisciplinar se dá no programa através da pesquisa de situações concretas da realidade do centro-oeste e de regiões periféricas.

Este novo conhecimento que constitui o foco do programa, tem se expressado nos temas e problemas abordados nas dissertações desenvolvidas e nas propostas de intervenções e recomendações e busca promover a inserção social dos setores que se encontram marginalizados, desenvolver e fomentar o desenvolvimento de uma consciência ambiental das comunidades envolvidas e analisadas, constituindo um mecanismo capaz de atender às exigências da sociedade local e regional na busca de soluções urgentes para os graves problemas ambientais e de saúde que acompanham o crescimento populacional, a implantação desordenada, a falta de políticas públicas e de ações governamentais, resultando em problemas de saúde pública e coletiva, além de comprometimento dos recursos naturais, desequilíbrio dos ecossistemas afetando a manutenção da diversidade biológica, especialmente no bioma Cerrado.

Neste contexto, o programa assume o papel de promotor da integração interdisciplinar, criando um espaço acadêmico de sinergia entre as ciências humanas, naturais e da saúde, abrindo uma grande perspectiva para a expansão das mesmas na PUC Goiás, de uma forma sólida e responsável. Promove também a reflexão por parte do corpo discente, oriundo de diversas áreas do conhecimento e de diversas localidades, do papel da pesquisa, do conhecimento e da conscientização sobre as questões ambientais e de saúde coletiva, como elementos responsáveis pela implementação de ações transformadoras da realidade e promotoras de desenvolvimento sustentável na perspectiva da equidade social.

No decorrer dos anos é possível constatar que a temática da saúde e do ambiente se articulam de forma interdisciplinar de forma concreta nas pesquisas desenvolvidas para a elaboração das dissertações que frequentemente constituem foco de interesse por parte de órgãos públicos e instituições na busca de soluções para os problemas complexos que afetam a sociedade e o ambiente.

No último triênio (2010-2012), o Programa recebeu nota 3 na avaliação feita pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), fundação vinculada ao Ministério da Educação do Brasil.