Jornada da Cidadania atende maior público de todos os tempos

160522jornada056jurídicaVapt-vupt2

A Jornada da Cidadania terminou nesta quarta-feira, 25, com recorde de público e de atendimentos. Durante os três dias do evento estiveram no Centro de Convenções da PUC Goiás, no Campus II, um total de 102 mil pessoas e foram realizados mais de 500 mil atendimentos. A Pró-Reitora de Extensão e Apoio Estudantil, Márcia de Alencar Santana, que também é a coordenadora geral da Jornada, avalia que o grande alcance da Jornada este ano se deve  à procura das pessoas mais pobres da região metropolitana de Goiânia, que teve acesso, em um só lugar e de forma rápida, a muitos serviços importantes, todos de graça.  A Jornada foi realizada pela PUC Goiás e pela Arquidiocese de Goiânia. Fazem parte da programação da Jornada da Cidadania a Semana de Cultura e Cidadania e os Jogos Universitários da PUC Goiás e a Feira da Solidariedade da Arquidiocese de Goiânia. 

25ª Caminhada Ecológica é lançada na Jornada da Cidadania

Luiz Magno – 8º período de Jornalismo

 

A Caminhada Ecológica chega a sua 25ª edição com um dos principais objetivos de preservar o Rio Araguaia e o Cerrado brasileiro. O lançamento ocorreu nesta quarta-feira (25), no Centro de Convenções da PUC Goiás, durante a III Jornada da Cidadania.

No lançamento da 25ª edição, foram montados cavaletes com fotos de edições anteriores na Estação de Formação de Professores. Segundo a organização da Caminhada, esta edição de comemoração de 25 anos exigiu que os participantes fossem escolhidos a dedo.

O mérito foi de quem mais participou da Caminhada Ecológica nas outras edições. No total, foram selecionados 34 atletas que vão enfrentar os 310km entre Trindade e Aruanã. Os atletas chegam a percorrer 62km por dia e o período escolhido é sempre julho, a temporada turística do Rio Araguaia.

A coordenadora de Arte e Cultura (CAC), Elizabeth Barros, dirigiu a apresentação cultural que homenageou os povos indígenas do Brasil. Durante a apresentação, o grupo de 13 artistas se transformava no próprio Cerrado. Segundo Elizabeth Barros, o propósito é alertar às pessoas que nós “somos o próprio meio ambiente”. Há sete anos a Coordenação de Arte e Cultura da PUC Goiás apoia o evento.

O grupo se apresenta nas cidades em que os atletas pernoitam durante a Caminhada. Um caminhão de cultura do Sesi é aberto nas cidades de Itauçu, Cidade de Goiás, Faina, Araguapaz, e Aruanã.  

O Cerrado é o segundo maior bioma da América do Sul, ocupando uma área de 2.036.448 km2, cerca de 22% do território nacional. Neste espaço encontram-se as nascentes das três maiores bacias hidrográficas da América do Sul, a Amazônica/Tocantins, a do São Francisco e Prata, o que resulta em um potencial aquífero e favorece a sua biodiversidade.

Em 1992, Antônio Firmino de Lima, o Seu Donca, deu início a um gesto, posteriormente abraçado em forma de projeto institucional, pelo jornal O Popular, que se tornou o maior evento do gênero na América Latina.

 

Participantes aguardam sorteios de animais na Jornada

Jacqueline Gomes – 6º período de Jornalismo

 

A doação de animais é uma das atrações promovidas pela Estação Vida e Natureza hoje (25), último dia da Jornada da Cidadania. Serão sorteados dois porcos, um cabrito e um cordeiro. Alunos de Zootecnia realizaram um trabalho de conscientização sobre os cuidados necessários com os animais. Os interessados devem se inscrever no estande da fazendinha. O sorteio será realizado por volta das 16 horas.

O estudante de Biologia, Felipe Machado, 24 anos, aprovou a iniciativa da doação de animais não domésticos. Apaixonado por bichos, ele já se inscreveu e aguarda o resultado ansioso. “Ganhar um porquinho para cuidar é genial, sem falar que é uma nova experiência”, afirma o estudante. A dona de casa Eleuza Maria Oliveira, 56 anos, também espera ser sorteada.

Segundo o estudante do 6° período de zootecnia, Hiago Júlio, 23 anos, a iniciativa é realizada na Jornada Cidadania todos os anos, e conta com apoio de professores e orientadores que disponibilizam os animais para doação, e acompanham os alunos no atendimento ao público.

Jornada da Cidadania oferece exames gratuitos para a população

Foto - Teste HIV-Hepatite-Sífilis 2

Texto: Nádia Garcia e Suellem Horácio – 6º período

Fotos: André Freitas – 1º período de Publicidade e Propaganda

 

Na Jornada da Cidadania deste ano, a Estação Saúde conta com três unidades móveis de atendimento cedidas pelas Prefeituras de Goiânia e de Aparecida de Goiânia. Localizadas na parte externa do Centro de Convenções, com atendimento psicológico para mulheres, atendimento odontológico e testes de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST’s) com resultado instantâneo. Os profissionais prestam serviço a todo o público visitante.

Durante o evento, um dos estandes mais procurados foi o de testes de DST, cedido pela Prefeitura de Aparecida de Goiânia. A unidade móvel possui profissionais que, além de fazerem o teste, prestam serviços de orientação clínica e psicológica. Segundo a enfermeira Poliana Ferreira, 26, feita a coleta de sangue, o resultado é sigiloso e fica pronto em poucos minutos. “No caso do teste de HIV, se o resultado for positivo, é feito um segundo teste, pela saliva. Se confirmado, o paciente é aconselhado e encaminhado ao tratamento”.

As estudantes de enfermagem, Alice Miranda e Bluna Dickmann, ambas de 19 anos, que visitaram o estande e realizaram os testes, atentam para a importância da prevenção. “É importante fazer os testes porque muitas vezes as pessoas têm a doença e não sabem e, como o teste é gratuito, todo mundo pode fazer”.

A unidade móvel, que também realiza exames e triagem de Sífilis e Hepatite B e C, já atendeu, desde segunda-feira (23), cerca de 200 visitantes na Jornada.  Os atendimentos continuam até 17 horas desta quarta-feira (25).

 

Prefeitura inicia regularização de lotes no Jardim Dom Fernando I

Amélia Dantas veio à Jornada da Cidadania em busca da regularização do lote

A dona de casa Amélia Dantas procurou a Jornada da Cidadania para regularizar lote

Texto e foto: Matthew Vilela – 5º período de Jornalismo

Aproximadamente 400 famílias da região do Jardim Dom Fernando I foram cadastradas na Jornada da Cidadania pela prefeitura de Goiânia. O objetivo é regularizar as propriedades que ainda estavam no nome da Arquidiocese de Goiânia. A região foi ocupada há vinte anos e nunca se fez um cadastro nominal, apenas o registro dos lotes no cartório. Isto dificultou a regularização do terreno e o reconhecimento de posse das famílias na prefeitura.

O reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás, Wolmir Amado, explica que a igreja assumiu uma postura complacente e de cuidado com cada uma das famílias retiradas do local. A igreja não expulsou as famílias, mas auxiliou no acolhimento e adaptação de cada uma delas na região”, afirma Wolmir.

Os lotes ainda estão no nome da Arquidiocese, mas com a Jornada da Cidadania, e em parceria com o estado de Goiás, teve início uma campanha para registrar o espaço no nome de cada família.

Carlin Café, líder comunitário engajado na luta para regulamentar a situação do Jardim Dom Fernando I, aprova a iniciativa. “Todos os prefeitos anteriores não tinham a preocupação em realizar o cadastramento fundiário necessário. Já a atual administração tem trabalhado com sabedoria e seriedade para resolver a situação”, ressalta Café.

Com a migração dos moradores do Parque Atheneu para o Jardim Dom Fernando I, a prefeitura registrou cada lote no cartório, nos primeiros anos da ocupação, mas deixou de realizar o cadastro individual dos moradores, o que dificultou a regulamentação das propriedades.

A prefeitura em parceira com a PUC-GO realizou o cadastramento das famílias durante a Jornada da Cidadania para regularizar a situação. Há 16 anos, a dona de casa Amélia Dantas tenta resolver o problema. “É muito ruim pagar algo e não ter a escritura. Estou muito feliz e espero que tudo corra bem. Que seja algo correto”, ressalta Amélia.